A roupa do rei da inovação

11 de maio de 2016

Um consultor, se fazendo passar por um inovador de local conceituado, diz a um determinado gestor que poderia construir um avançado e completo Laboratório de Inovação, que exigiria muitos recursos, mas que apenas as pessoas mais inteligentes, influentes e espertas poderiam vê-lo e utilizá-lo. O gestor, muito vaidoso, gostou da proposta e pediu ao consultor que construísse um laboratório desses para ele.
O consultor recebeu muito dinheiro, e seguiu atrás de tudo que estava na moda: começou a criar uma rede, produzir conteúdo, abrir editais de chamamento e fazer network. Todas as pessoas alegavam ver um laboratório de inovação sendo construído, para não parecerem desatualizadas e estúpidas.
Um dia, o gestor se cansou de esperar, e ele e sua equipe quiseram ver o progresso do “consultor”. Quando o consultor especialista mostrou: um site bonito, um post de blog, algumas viagens para o vale do silício, resumos de livros, meia dúzia de eventos e vários termos de compromisso assinados, o gestor exclamou: “Esse é o melhor Laboratório de Inovação que eu já vi! Que trabalho magnífico!”, embora não visse nada além de um simples conjunto de ações desconectadas, pois dizer que não tinha nada seria admitir na frente de seus seguidores que não tinha a capacidade necessária para ser um gestor inovador.
Os membros da equipe ao redor soltaram falsos suspiros de admiração pelo trabalho do consultor, nenhum deles querendo que achassem que era incompetente ou incapaz, afinal, era um consultor premiado e já estabelecido no mercado.
O consultor garantiu que o Laboratório logo estaria completo, e o gestor resolveu marcar uma grande conferência para que ele exibisse seu Laboratório…
Na data da conferência, a única pessoa a desmascarar a farsa foi um estagiário: “O gestor não é inovador!” O grito foi sentido por toda audiência, o gestor ficou encabulado e se encolheu, suspeitando que a afirmação era verdadeira, mas manteve-se toxicamente altivo e continou a conferência…

Joio x Trigo

Entre alfaiates, consultores, professores, dirigentes ou em qualquer profissão, existem os enganadores e existem aqueles que optaram por trabalhar duro, estudar bastante, desbravar um caminho e seguir a ética.
Se trilharmos o caminho dos enganadores e orgulhosos, optaremos por seguir nus, diante da inovação.
Foto: Chamusca Jr.



André Tamura

André Tamura

Pai e Marido. Fundador e Diretor Executivo da WeGov. Empreendedor entusiasta da inovação no setor público e das transformações sociais. Estudou Administração de Empresas e Ciências Econômicas. Desde que trabalhou como operário de fábrica no Japão, tem evitado as “linhas de produção”, de produtos, de serviços e de pessoas. Em 2017, foi condecorado com a Medalha do Pacificador do Exército Brasileiro.